NOSSA POLITÍCA

20 de jun de 2011

Tio atropela e mata menino de 3 anos

Tragédia na serra                       

Criança correu para pegar pipa no momento que familiar dava marcha à ré em automóvel

Marcelo Pereira
mvitoria@redegazeta.com.br

foto: Fábio Vicentini GZ
 O  automóvel ficou retido porque estava com o licenciamento vencido; o tio de Pedro (destaque), de 22 anos, ficou em estado de choque
O automóvel ficou retido porque estava com o licenciamento vencido; o tio de Pedro, de 22 anos, ficou em estado de choque
Um menino de 3 anos morreu ontem após ter sido atropelado pelo carro que o tio guiava, na rua em que morava, no bairro Vila Nova de Colares, na Serra. Pedro Henrique Deolindo de Oliveira teria corrido para pegar uma pipa no momento em que Diego Torres de Oliveira, de 22 anos, dava marcha à ré no automóvel - um Tempra - para dar passagem a um caminhão.

O fato aconteceu por volta das 16 horas, na Rua Juscelino Kubitschek. Diego prestou socorro ao sobrinho, levando-o para o Hospital Dório Silva, também na Serra. Mas o garoto não resistiu e morreu quando era atendido.

Os pais da criança ficaram em estado de choque, assim como o tio, que não quis falar com a imprensa. Ele prestaria depoimento no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Laranjeiras. O rapaz tem habilitação para dirigir e fez teste do bafômetro, em que não foi detectado nenhum sinal de álcool.

O veículo foi retido no posto do Batalhão de Trânsito, em Maruípe, Vitória, por estar com licenciamento vencido.

O pai de Oliveira, o aposentado Luiz Soares de Oliveira, 59, disse que tudo foi uma terrível fatalidade. "O acidente aconteceu muito rápido. Meu neto correu para a rua, no instante em que Diego manobrava para dar ré e não viu o sobrinho. Acabou atingindo a cabeça do garoto", contou, insistindo que o filho jamais pensaria em ferir alguém.

Pedro Henrique Deolindo de Oliveira
Pedro Henrique foi atropelado pelo próprio tio
A avó materna da criança, a aposentada Maria da Penha Crescência, 53, estava revoltada por ter perdido seu neto. Ela não se contentou com a versão do tio e quer que seja feita justiça.

"Ele deve pagar de alguma forma. Se hoje a pessoa é presa por maltratar um animal ou cortar uma árvore, o que não deve responder por matar uma criança?", questionou.

No momento do acidente, ela estava em sua casa em Nova Almeida, na Serra. Culpou o pai e o tio da criança. "Eu sempre falei que deveriam ter mais cuidado com as crianças brincando na rua. Deveriam ter mais atenção, não deixarem a garotada assim, tão solta. Acho que foi uma falta de bom senso e de responsabilidade você manobrar um carro com criança perto. Principalmente menino pequeno que sai correndo assim, de uma hora para outra", reforçou.

"Meu neto correu para a rua no instante em que o Diego manobrava para dar ré no carro. Foi tudo rápido", Luiz Soares de Oliveira
59, avô paterno da criança


"Era preciso mais cuidado com as crianças. Foi uma falta de bom senso manobrar um carro com criança perto", Maria da Penha Crescência, 53, avó materna da criança

                           Com informações:
Gazeta Online


Avalie o Conteúdo:

0 comentários: