NOSSA POLITÍCA

15 de ago de 2010

Parada Gay de Brasília faz campanha pelo voto consciente

15/08/2010 18h38 - Atualizado em 15/08/2010 18h47 G1
Débora Santos Do G1, em Brasília

Organizadores pretendem distribuir manual do eleitorado homossexual.
Candidatos e militantes aproveitaram evento para fazer campanha. 

Daniel Fernandes Do Blog Notícias em Foco

A Parada do Orgulho LGBTS de Brasília, realizada neste domingo (15), teve como tema as eleições de outubro. A organização do evento distribuiu material impresso abordando o voto consciente e a importância de escolher candidatos que defendam interesses da causa homossexual.
Parada Gay BrasiliaGrupo carrega bandeira com as cores do arco-íris, símbolo do orgulho gay  (acima, à esq.), enquanto Pedro Fistarol mostra cartaz contra a corrupção na política. Abaixo, participantes da parada ocupam o Eixão, em Brasília (Fotos: Debora Santos/G1)
Tem muito candidato que é homofóbico e só está aqui para conseguir os votos dos gays. Eles passam o ano todo sugando o dinheiro público e só olham para a gente na época das eleições"
Pedro Fistarol, participante da Parada Gay de  Brasília
Militantes de partidos e candidatos à Câmara Legislativa do Distrito Federal aproveitaram o evento para distribuir material de propaganda. A parada foi realizada no Eixão, uma das principais vias de Brasília, que corta a Capital de ponta a ponta.
Nathalia Araújo disse achar importante o movimento gay abrir espaço para discutir política. “Ainda não sei em quem vou votar, mas a gente precisa mudar as pessoas que estão no poder. Precisamos de candidatos que criem empregos. Eu faço programas porque não tem emprego”, afirmou.
O militante Pedro Fistarol faz parte de um grupo que organizou um protesto contra a corrupção na política. O grupo levou cartazes com a frase “Chega de Elza na política”. Segundo Fistarol, a expressão “Elza” é uma gíria usada pela comunidade gay que significa “ladrão”.
saiba mais
“Tem muito candidato que é homofóbico e só está aqui para conseguir os votos dos gays. Eles passam o ano todo sugando o dinheiro público e só olham para a gente na época das eleições”, afirmou.
Segundo a ONG Estruturação, uma das organizadoras do evento, levantamento feito pela Universidade de São Paulo, de 2008, mostrou que o Distrito Federal tem cerca de 200 mil homossexuais acima dos 18 anos de idade.
Até a eleição, a entidade vai divulgar um manual do eleitorado LGBT com instruções sobre como escolher candidatos identificados com o movimento, que apoiem o avanço dos direitos dos homossexuais.
 
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: