NOSSA POLITÍCA

13 de abr de 2011

Elenco nega retrato negativo da polícia do Rio


'Eles fazem um ótimo trabalho', diz Vin Diesel sobre polícia carioca

Elenco participou de entrevista coletiva na manhã desta quarta (13), no Rio.
Vin Diesel, The Rock e Paul Walker estão na cidade para première mundial.

Do G1 RJ
O elenco do filme "Velozes e furiosos 5" participou na manhã desta quarta-feira (13), no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, de entrevista coletiva para a imprensa. Durante a conversa, o ator Vin Diesel elogiou o trabalho da polícia carioca: "Eles fazem um ótimo trabalho", disse batendo palmas.
Os atores Dwayne Johnson (The Rock), Paul Walker, Vin Diesel e Jordana Brewster participam de coletiva à imprensa nesta quarta-feira (13), no Rio de Janeiro. (Foto: Felipe Panfili/AgNews)Os atores Dwayne Johnson (The Rock), Paul Walker, Vin Diesel e Jordana Brewster participam de coletiva à imprensa nesta quarta-feira (13), no Rio de Janeiro. (Foto: Felipe Panfili/AgNews)

"Estou morrendo de vontade de filmar de novo aqui no Rio", disse Diesel. "É uma cultura fantástica, com belas praias e pessoas."

O ator, que também trabalhou como produtor, conta que menos da metade das cenas foram rodadas na cidade. "Tínhamos a intenção de filmar tudo no Rio, mas tivemos que mudar os planos porque causaríamos muitos problemas, fechando ruas e criando um certo caos", explicou. "Vocês deveriam estar felizes que não filmamos tudo aqui."

"Logo nos primeiros dias de filmagem, vimos que se ficássemos por mais do que uma semana, as pessoas iam nos odiar", brincou o produtor Neil Morritz.

Diesel também contou que está se divertindo durante sua visita à cidade. "Amei ir a uma escola de samba e andar de bicicleta na praia. Vejo que aqui as pessoas andam devagar e gostam de caminhar, de fazer exercícios. Eu amo isso."
'Vejo que aqui as pessoas andam devagar e gostam de andar, de fazer exercícios. Eu amo isso', disse o ator Vin Diesel em entrevista coletiva para o lançamento de 'Velozes e furiosos 5'. (Foto: Felipe Assumpção/AgNews)'Vejo que aqui as pessoas andam devagar e gostam de andar, de fazer exercícios. Eu amo isso', disse o ator Vin Diesel em entrevista coletiva para o lançamento de 'Velozes e furiosos 5'. (Foto: Felipe Assumpção/AgNews)

A atriz Jordana Brewster negou que o filme mostre um retrato negativo do Brasil. "Acho que a cidade está linda nesse filme. As coisas negativas são por causa da história de 'Velozes e furiosos', não porque é o Rio".

Golpe contra chefe do tráfico
Em “Velozes 5”, o ladrão de carros Dominic Torretto (Vin Diesel), condenado a 25 anos de prisão nos EUA, consegue fugir para o Rio com seu bando. Aqui ele encontra um paraíso de impunidade, território perfeito para novos golpes, além de perseguições alucinadas, marca da série de filmes.

Ao chegar ao Morro Dona Marta, hoje pacificado, Torretto é recebido por traficantes armados até os dentes. Logo ele descobre que o tráfico age na cidade sob a proteção da própria polícia, corrupta e aliada do chefão do crime, o vilão Ernan Reyes, interpretado pelo português Joaquim de Almeida.
Depois de roubar carros de um trem em movimento - em uma sequência de ação que visivelmetne não foi rodada no Rio, mas em cenários desérticos – o personagem de Vin Diesel descobre em um dos veículos um chip que interessa a Reyes e prepara um golpe para tomar a fortuna do poderoso traficante.
saiba mais
Paralelamente, Torretto é perseguido pelo Serviço de Segurança Diplomática dos EUA, liderado por Luke Hobbs, interpretado por Dwayne Johnson, também conhecido como The Rock. Mas o protagonista convoca uma multidão de criminosos locais, com fuzis em punho, para intimidar o agente americano. E, nesse momento, ele diz: “Hobbs, você não estão nos EUA. Está no Brasil!”

Filmagens
As filmagens no Rio foram feitas em apenas três dias, em novembro de 2010, mas a maior parte das cenas foi filmada nos EUA e em Porto Rico. As tomadas aéreas e a edição rápida, marca da franquia, ajudam a iludir o espectador, parecendo que o longa-metragem usou somente locações brasileiras.
A atenção a detalhes, o uso de réplicas perfeitas dos uniformes da Polícia Militar do Rio, adicionam autenticidade ao filme. Mas, por outro lado, o uso de estrangeiros para o papel de brasileiros, falando português com sotaques carregados, faz a produção perder pontos. Ao menos com o público brasileiro.
 Saiba mais
Fonte: G1
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: