NOSSA POLITÍCA

29 de dez de 2011

Michel Teló é matéria na revista Forbes e comparado a Carmem Miranda e Xuxa

"Você já ouviu falar de Michel Teló, o fenômeno da música country brasileira? Irá em breve"

Foto: Divulgação
O sul-mato-grossense do ano é definitivamente Michel Teló. Graças ao hit "Ai Se Eu Te Pego", nesta quinta-feira ele foi reportagem na versão digital da Revista Forbes, uma das principais publicações dos Estados Unidos e do mundo.
Com o título "Você já ouviu falar de Michel Teló, o fenômeno da música country brasileira? Irá em breve", a revista online apresenta o músico como celebridade internacional. É considerado “talentoso” e “habilidoso”.
O reconhecimento vem depois de 12 milhões de dólares na conta bancária nos últimos 12 meses, calcula a revista, além de 94 milhões de visualizações no Youtube e de ter a música mais baixada no iTunes em países como Portugal, Itália, Espanha, Alemanha, Polônia, Argentina, Chile, Colômbia e Peru.
"Aparentemente, o mundo está a fim de pegar Teló", comenta a Forbes ao lembrar da dificuldade de celebridade brasileira ganhar o estrelato internacional. A revista cita Carmem Miranda como verdadeiro sucesso e o caso de Xuxa como fracasso.
“Apenas o tempo dirá se Teló será capaz de ultrapassar as fronteiras da América Latina definitivamente”, adverte a Forbes.
Show de Michel em Florianópolis, no dia 10 de dezmebro, lotado.
Hoje Michel está em Itapema - Santa Catariana. Ele grava clipes para divulgação internacional, conta o pai Aldo Teló, que acompanha o filho durante série de shows pelo litoral catarinense. "Está em alto mar, sem atender telefone", explica.
Depois do Natal em Campo Grande, Michel terá um Réveillon no palco, em Balneário Camboriú e já tem 12 shows agendados em sete países da Europa em 2012.
O pai do músico só sabe agradecer o ano a Deus. Diante de tamanha repercussão, diz que o filho nasceu com uma estrela.
“Desde 7, 8 anos, já sabia que o Michel tinha essa estrela, que nasceu iluminado. Podia até ter qualidade técnica inferior a outras crianças que se apresentavam na escola, mas era sempre o que levava mais aplausos, que recebia mais carinho do público”.
O “turbilhão”, como define o ano de 2011, será inesquecível, comenta. “Quando ele gravou a música a gente percebeu que faria sucesso, mas não dava para imaginar que seria tanto”.
Na época, dono de uma padaria em Campo Grande, Aldo diz que já incentiva Michel ainda criança, sem as preocupações comuns dos pais como a necessidade de um diploma universitário.
Hoje, proprietário de uma confecção, vê os 3 filhos crescendo profissionalmente juntos. Os irmãos trabalham com Michel. Teófilo, o mias velho, é o empresário e Teo o produtor. “Todos participam do projeto e vivem por isso”.
Ele já havia experimentado a fama de tabela quando Teló e o grupo Tradição ganharam destaque nacional e nos EUA, mas nada parecido com o que ocorreu em 2011, avalia.
“Tem horas que fico até constrangido. Todo mundo chega para contar alguma coisa dele. A gente muda de conversa, mas logo voltam ao assunto. É bonito de ver”, diz Aldo;

Fonte:jornaldiaadia
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: