NOSSA POLITÍCA

2 de jan de 2012

Colatina é principal pedra no sapato de Casagrande na eleição 2012

 No município de Colatina estão as maiores chances do PSB na eleição municipal do próximo ano
                                  Estado em Foco                        
Colatina-ES a princesinha do norte capixaba
A declaração do governador Renato Casagrande, de que vai participar efetivamente da eleição do próximo ano, causou reação do mercado político e revelou onde estará o maior problema para as articulações da base política do governador, que conta com os 16 partidos que o apoiaram na eleição 2010.

No município de Colatina estão as maiores chances do PSB na eleição municipal do próximo ano, já que o deputado Paulo Foletto vem sendo apontado como favorito na eleição. O parlamentar vem dando sinais de que pode não disputar, mas o grupo político que se formou em torno dele vem pressionando para que dispute à eleição, comandando a oposição ao atual prefeito.

Do outro lado está o PT, que comanda a administração municipal com o prefeito Leonardo deptulski. O partido é um dos principais aliados de Renato Casagrande e estaria pressionando o governador a retirar a candidatura do deputado Paulo Foletto em favor da harmonia na base governista.

Se não conseguir demover o PSB da ideia de disputar a prefeitura, a situação já encontrou uma alternativa para equilibrar o pleito. Caso Foletto dispute a eleição, o ex-prefeito Guerino Balestrassi (PTB) pode vir a disputar a eleição no lugar do prefeito Deptulski. Caso Foletto não dispute, a eleição ficaria entre o prefeito e o deputado estadual Josias da Vitória, do PDT.

O PT tem prioridade na eleição em Colatina, porque, caso consiga manter o acordo com o PSB, o município é o campo governado pelo partido com mais chances de vitória em 2012. Daí a pressão sobre o governador para que interfira de forma a beneficiar o PT ou se mantenha afastado do palanque socialista de Colatina no próximo ano.

Apesar de ter declarado que iria participar das eleições 2012, o governador não deve interferir nas costuras feitas pelos aliados, sob pena de perder apoio político. Mesmo assim, Casagrande deve trabalhar pelo fortalecimento de seu partido, que no Estado conta com 16 das 78 prefeituras. O fortalecimento do partido é fundamental para que o governador consiga construir seu palanque para a reeleição em 2014.

informações: site seculodiario
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: