NOSSA POLITÍCA

15 de jun de 2011

Delegado facilitava roubo à delegacia

Delegado informava aos bandidos os melhores horários para furtar delegacia

Em depoimento na Corregedoria da Polícia Civil, o delegado negou todas as acusações contra ele, afirmando que "as pessoas falam demais"

 foto: Nestor Müller

Delegado Carlos Cesar da Silva
Delegado Carlos César da Silva flagrado dentro da sala da Corregedoria da Polícia Civil, na manhã desta quarta-feira

A Corregedoria da Polícia Civil informou que o delegado Carlos Cesar Gomes, preso quando deixava o plantão no DPJ de Cariacica, na manhã desta quarta-feira (15), passava informações para criminosos sobre a existência de armas e drogas na delegacia que comandava, em Conceição da Barra, e quais eram os dias em que seria mais fácil cometer os furtos do material.

Em depoimento no final da manhã desta quarta-feira, na Corregedoria da Polícia Civil, o delegado negou todas as acusações contra ele, afirmando que "as pessoas falam demais".

A Polícia Civil já pediu à Justiça a quebra do sigilos bancários do ex-plantonista do DPJ de Cariacica e da esposa dele que presta depoimento nesta tarde, na condição de testemunha.
Carlos Cesar é acusado de tráfico de drogas, associação ao tráfico de drogas, corrupção passiva, peculato (crime praticado por funcionário público contra a administração em geral), formação de quadrilha e posse ilegal de arma de fogo.

A Corregedoria informou que não existem indícios de crimes em nenhuma das outras cinco delegacias onde o suspeito atuou.

Ainda não foi detalhado quanto dinheiro o delegado ganhou ao se associar com um advogado criminoso e quatro traficantes de drogas, há cerca de oito meses, conforme às investigações da Corregedoria. Todos já foram presos em outras operações.

Preso dentro da própria delegacia

Carlos César foi preso na manhã desta quarta-feira (15) dentro da unidade em que trabalhava. O policial foi encaminhado para a Corregedoria da Polícia Civil, no Centro de Vitória, de onde seria transferido para a carceragem da Delegacia de Vila Velha.

Facilitador de crimes

Carlos César da Silva é suspeito de facilitar o furto de armas e drogas apreendidas e mantidas na delegacia. Uma equipe de policiais realizou buscas na casa do delegado, em Linhares, onde foram encontradas seis armas irregulares. Contra Carlos César há um mandado de prisão preventiva e uma ação penal já instaurada. Na entrada da Corregedoria ele não falou com a imprensa. Em depoimento já prestado ao órgão, ainda este ano, ele negou as acusações.

As investigações começaram há cerca de dois meses e foram realizadas pela Corregedoria e pela Polícia Civil de São Mateus.

Buscas na casa de delegado

Na casa do delegado, em Linhares, Norte do Estado, foram apreendidos documentos, uma bicicleta e seis armas de fogo. A esposa do delegado e o empregado que trabalhava na casa devem prestar depoimento à Corregedoria.

Os delegados André Cunha e Danilo Bahiense comandaram a ação, mas não quiseram gravar entrevista. A equipe do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas (Nuroc) também esteve na residência. (Com informações de Valéria Vieira).

Em um mês, quatro delegados presos

Outros três delegados já estão presos na Delegacia do Centro de Vila Velha. No dia 13 de maio os delegados Márcio Braga e Luiz Neves, da Divisão de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio, foram presos acusados de vários crimes, entre eles extorsão e tortura.

Na última quinta-feira (09) a delegada Tânia Brandão - também plantonista do DPJ de Cariacica - foi presa por suspeita de integrar uma quadrilha de traficantes e homicidas do Morro dos Gama, em Cariacica. Embora ela atuasse na mesma unidade que o delegado Carlos César da Silva, as prisões não estão relacionadas.

 informações:

Avalie o Conteúdo:

0 comentários: