NOSSA POLITÍCA

11 de jul de 2011

Quadrilha presa com alvará falso ao tentar desviar 1 milhão do Banestes

Em dezembro do ano passado a quadrilha conseguiu dar um golpe de R$ 450 mil. Bandidos falsificaram alvarás em nome de um juiz

Letícia Cardoso - Rádio CBN Vitória 93,5 FM
Imagem Exemplo
foto: Letícia Cardoso
Operação Alvará - Jordano Leite
Delegado Jordano Leite

Envolvidos presos ou foragidos

João Gonçalves Junior - Esteve no Posto de Atendimento do Banestes do Fórum de Vitória e foi o responsável pela transferência bancária da quantia de R$ 450 mil no dia 13 de dezembro de 2010. Foi preso pelo Nuroc em Itumbiara (GO);

Eleuza Aparecida de Oliveira - Forneceu a conta bancária na Caixa Econômica Federal  para que a quadrilha desviasse R$ 450 mil. Depois, efetuou transferências e saques sob orientação de João Gonçalves Junior. Foi presa em Morrinhos (GO) e solta por decisão judicial;

João Batista Gonzaga - Tentou efetuar nova transferência bancária com uso de alvará falso da quantia de R$ 645.402.10, também no Posto de Atendimento do Banestes. Foi preso em flagrante pelo Nuroc em Vitória;

Juliadson Alan Silva Araújo - Apontado como um dos mentores de todo o esquema, tendo se aproveitado de uma advogada de partes do processo. Se encontra foragido;

Alexandre Lacerda de Andrade - Apontado como um dos mentores do esquema junto com Juliadson Alan Silva Araújo, foi preso em Governador Valadares (MG) pelo Nuroc;

Ronaldo Ferreira da Silva Gontijo - Apontado pelo responsável pelo aliciamento de João Gonçalves Junior para participar da fraude, teria também obtido vantagem financeira com a falsificação de alvará, e se encontra foragido;

Iris Cândido Porto Ramos - Teria colaborado diretamente com Juliadson, tendo inclusive viajado para Vitória quando da transferência de R$ 450 mil. Foi preso em Governador Valadares;

Jean Carlos Bernardo - Forneceu conta bancária para Juliadson Alan Silva Araújo transferir os valores desviados. Foi preso em Governador Valadares.

Paulo Luiz da Silva, conhecido como "Paulo 171" - É apontado como aliciador de João Batista. Seria responsável pela obtenção de documentos falsos para a quadrilha. Foi em Governador Valadares.

Uma quadrilha de estelionatários de Governador Valadares (MG) conseguiu desviar R$ 450 mil de uma conta judicial do Banestes utilizando alvará judicial falsificado. Os criminosos foram apresentados pela Polícia Civil nesta segunda-feira (11) e tinham a intenção de transferir R$ 1,1 milhão. O dinheiro é proveniente de processos judiciais que aposentados da Vale movem contra a Valia, uma fundação de seguridade social.

Até esta segunda a polícia já tinha conseguido prender sete integrantes do grupo. Dois continuam foragidos, entre eles o apontado como mentor do esquema, Juliádson Alan Silva Araújo. De acordo com o delegado Jordano Leite, titular do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc), Juliádson é neto de uma advogada que representa pessoas que são partes do processo.

"A avó do Juliádson é advogada de partes nesse processo que tramita em uma Vara Cível de Vitória. Ele se aproveitou dessa situação, conseguiu as informações e passou a fazer as falsificações envolvendo outras pessoas", contou.

Em dezembro do ano passado a quadrilha conseguiu dar um golpe de R$ 450 mil. Criminosos falsificaram alvarás em nome de um juiz, de acordo com investigações do Nuroc. De posse do documento falso um dos integrantes da quadrilha se apresentou no posto de atendimento do Banestes localizado no Fórum de Vitória. Lá efetuou a transferência do valor para uma conta bancária de outro Estado.

O esquema foi descoberto em fevereiro deste ano quando a quadrilha tentou desviar R$ 650 mil. Só que dessa vez funcionários do Banestes e do Poder Judiciário identificaram que o número do alvará apresentado por um dos criminosos não batia com o número do processo. Além disso, a assinatura do juiz que tinha no documento mostrava o nome de um magistrado que não respondia mais pela Vara.

"Os funcionários na mesma hora que identificaram um erro no alvará acionaram o Nuroc. Na hoa nós identificamos que se tratava de documento falso. Nós fomos ao local e prendemos o criminoso que se passava por autor do processo. A partir da prisão dele descobrimos a quadrilha e fomos prendendo os demais membros", destacou.

De acordo com o delegado do Nuroc, o grupo praticava crimes em outros Estados e é muito conhecido da polícia de Governador Valadares por aplicar golpes na cidade. A polícia apreendeu quatro carros de passeio e uma caminhonete. A polícia descartou a participação de funcionários do Banestes e do Poder Judiciário no esquema.

Das sete pessoas presas uma foi solta na semana passada e a outra morreu no Centro de Detenção Provisória em consequência de problemas de saúde.

Veículos apreendidos na Operação Alvará

De acordo com o Nuroc, os indiciados adquiriram diversos bens com o dinheiro desviado, inclusive veículos que foram apreendidos na Operação Alvará e apresentados hoje:

1 caminhonete MMC L 200 Triton 3.2 D, cor prata;

1 Volkswagen Gol 16v Power, cor cinza;

1 Volkswagen Golf 1.6 Sportline, cor prata;

1 Volkswagen Golf 1.6 Sportline, cor preta; e

1 Volkswagen Golf 1.8, cor prata, apreendido na Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Goiás.

Operação Alvará
Fonte:
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: