NOSSA POLITÍCA

24 de dez de 2011

Entre amigos, Adriano diz que jovem disparou contra a própria mão

Marca de tiro na lataria do carro de Adriano
Marca de tiro na lataria do carro de Adriano
O jogador Adriano, que é investigado por supostamente ter disparado acidentalmente um tiro contra uma jovem que estava no seu carro, negou participação no acidente. Entre amigos, o atacante do Corinthians garante que Adriene Cirilo, de 20 anos, estava brincando com a arma no banco de trás do carro quando acidentalmente disparou contra a própria mão. O incidente teria acontecido na saída da boate Barra Music, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, na madrugada deste sábado.
A versão de Adriano para o caso contradiz o que Adriene Cirilo disse aos policiais militares que conversaram com ela no Hospital Barra D'Or, onde foi atendida. Adriene teve fratura na mão e passará por cirurgia. De acordo com os agentes, ela chegou a dizer que foi vítima de uma bala perdida, mas depois garantiu que o jogador estava brincando com a arma quando atirou nela acidentalmente.
Amigas de Adriano comparecem à delegacia
Amigas de Adriano comparecem à delegacia
Além de Adriene e Adriano, outras quatro pessoas estariam no veículo. A arma, uma pistola .40 que é de uso exclusivo das Forças Armadas, seria de um tenente reformado da Polícia Militar, que dirigia o carro, segundo a PM.
O jogador ainda não foi à 16ª DP (Barra da Tijuca) para prestar depoimento, mas disse aos seus amigos que está tranquilo e só não foi depor para evitar o alvorço da imprensa no local. Um dos seus amigos, Vinícius Jack, disse que uma amiga da vítima está tentando usar o incidente para se promover. Segundo a testemunha, que não estava no mesmo carro, a arma do segurança estava debaixo do banco da frente e Adriene tentou pegá-la.
"Na hora de ir embora, conforme o carro foi andando, a arma escorregou para trás. A menina, na inocência, foi devolver a arma para o segurança e, sem saber, apertou o gatilho", disse o amigo de Adriano. "A Adriene tem essa amiga que está querendo se promover. Ela sabe que o Adriano vende jornal".
Histórico polêmico

Tenente reformado não quis se identificar
Tenente reformado não quis se identificar
Ex-jogador do Flamengo e da seleção brasileira, Adriano coleciona um histórico de polêmicas. Em março de 2010, ele e mais 10 jogadores rubro-negros estariam num baile funk na favela da Chatuba quando sua então noiva Joana Machado apareceu. Indignada com a situação, ela teria lançado pedras contra os carros do jogadores. Na ocasião, alguns jornais apontaram que os traficantes da favela tiveram que conter Joana.
Em maio do mesmo ano, o jornal "O Dia" divulgou fotos de Adriano segurando um fuzil e fazendo o símbolo "CV" com as mãos, em alusão ao Comando Vermelho, principal facção criminosa do Rio de Janeiro. Ele foi investigado por associção com o tráfico de droga



Com informação: jornal do brasil
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: