NOSSA POLITÍCA

16 de mar de 2012

Adolesdcente de 16 anos detido por atear fogo em mendigos esta em casa

A Polícia Civil recomendou que ele fosse internado, mas o Ministério Público liberou o jovem. A vítima continua em estado grave

foto: Divulgação
Moradora de rua teve cerca de 70% do corpo queimado
A moradora de rua teve cerca de 70% do corpo queimado e continua internada em estado gravíssimo
Mesmo após confessar a barbaridade de ter ateado fogo em moradores de rua em Linhares, um estudante de 16 anos não vai ficar detido. Ele foi devolvido para a família e já está em casa. A decisão foi tomada pelo Ministério Público Estadual (MPES) por volta das 18h desta quinta-feira (15), contrariando recomendação da Polícia Civil. O crime aconteceu no bairro Aviso na madrugada de ontem. Marinalva da Silva Alves, 56 anos, teve 70% do corpo queimado e está internada em estado gravíssimo.

O jovem foi apreendido nesta quinta pela manhã e confessou o crime, achando ter feito a “coisa certa”. De acordo como chefe do Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Linhares, delegado Fabrício Lucindo, foram encaminhados ao MPES a confissão do adolescente, depoimentos de testemunhas, fotografias da situação da vítima e a recomendação para que o jovem fosse levado para a unidade de internação de menores infratores. Porém, o órgão judiciário resolveu devolver o rapaz à família para que ele responda pelo crime em liberdade.

“Para minha equipe aqui no DPJ, presenciar situações como essas são desestimulantes ao trabalho. Mas o papel da Polícia Civil é resolver o crime, o que a gente conseguiu fazer. O Ministério Público e a Justiça são que decidem o destino dos acusados”, lamenta o delegado.

O filho da vítima do crime, Sérgio Rodrigues da Silva Alves, relata que, logo após ser liberado no final da tarde desta quinta-feira, o adolescente já saiu de casa e começou a se gabar para as pessoas do bairro por não ter ficado preso. “É um absurdo sem tamanho. Ele tem que pagar pelo crime cometido. Não pode ficar assim”, reclamou.

O MPES foi procurado e informou que o caso está sob análise.
Barbaridade

O crime aconteceu na madrugada de quinta-feira (15). O suspeito teria entrado em uma quadra abandonada fumando quando, sem motivos aparentes, aproximou-se e ateou fogo nos colchões de moradores de rua com um isqueiro.

No local havia pelo menos quatro pessoas. A maioria escapou mas Marinalva da Silva Alves, 56, estava sob efeito de bebidas alcóolicas, não conseguiu fugir e teve 70% do corpo queimado. Ela encontra-se internada em estado gravíssimo no Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Dório Silva, município da Serra.

O estudante de 16 anos foi identificado e apreendido pela Polícia Civil no final da manhã desta quinta-feira (15). Ele mora a cerca de 500 metros do local do crime. Em depoimento, segundo o delegado, o adolescente demonstrou pouco arrependimento e parecia acreditar ter feito a “coisa certa”, pois estava incomodado com a presença dos moradores de rua. O jovem seria usuário de drogas e conhecido das pessoas que dormiam na quadra de esportes.

informações: Gazetaonline
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: