NOSSA POLITÍCA

30 de mar de 2012

'Heleno', com Rodrigo Santoro, estreia nesta sexta-feira


Foto: Divulgação
FOTO: Divulgação

Rodrigo perdeu 12 quilos para viver Heleno de Freitas adoecido — o jogador contrai sífilis e morre esquecido em uma clínica no interior de Minas. Sem considerar a construção do enredo, as sequências de Rodrigo valem o preço do ingresso e ele leva o filme nas costas.

Não é à toa que esse já é apontado como um dos melhores papéis de sua carreira.
Destaque também para a fotografia em preto e branco, que garante o charme romântico da época, mostrando a beleza e o glamour dos grandes bailes no Copacabana Palace, que, entre os boleiros (numa época em que eles não eram valorizados como hoje), apenas Heleno frequentava.
Advogado, com família bem estruturada e rico, ninguém entendia por que ele se transformou em jogador de futebol. Mesmo com a profissão pouco valorizada, ele não negava a sua origem: levava uma vida boêmia e sofisticada, e usava seu lado sedutor para mexer com os corações, principalmente de sua mulher, Silvia (Alinne Moraes).
Contado em duas épocas para lembrar as fases de glória e a de destruição, o filme do diretor José Henrique Fonseca, por mais que não seja explicitamente sobre futebol, peca pela falta de cenas com a bola rolando.

Os alvinegros e os fãs de futebol vão sentir falta dos golaços e das jogadas do polêmico atacante.

Fonte: O Dia
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: