NOSSA POLITÍCA

4 de mar de 2014

Mulher que matou filha envenenada era muito agressiva, diz família


A família de Aline dos Santos, que matou a filha de cinco anos envenenada e depois se jogou da Terceira Ponte na noite desta segunda-feira (03), disse que a mulher era muito agressiva com os filhos, principalmente com os meninos.
Reprodução TV Vitória
Um dos filhos de Aline, um menino de 7 anos, dormia ao lado da irmã quando ela foi assassinada. Ele diz que não vai sentir falta da mãe. “Ela matou a minha irmã. Não vou sentir falta dela, só da minha irmã”, afirma.
O pai das crianças e ex-marido de Aline, Robson Lira Duarte, conta que a tragédia chocou a família. “É muito difícil, é uma perda muita grande. A gente pensa que isso só acontece com os outros e não imagina que isso pode acontecer com a gente”, disse.
Ainda de acordo com Robson, a mulher desprezava os filhos homens. “Ela fazia muita questão da filha e desfazia dos outros filhos. Ela já maltratou meus filhos e eu fiz ocorrências na delegacia, tem fotos deles machucados. Acho que foi por isso que ela se foi e levou a filha. Quando eu cheguei à casa, a menina já estava morta na cama. Eu estava pr
essentindo que não iria encontrar boa coisa”, relata.
Ainda segundo Robson, há cerca de um ano, a mulher incendiou a casa onde morava com as crianças. Por causa das atitudes agressivas de Aline, há quatro anos o ex-marido tenta conseguir a guarda definitiva das crianças. “Eu comecei a pedir a guarda quando a menina ainda não tinha nascido. A juíza pediu para eu esperar e juntar a certidão de nascimento da menina no pedido de guarda. Em abril deste ano, uma audiência seria feita”.
Segundo a polícia, Aline dos Santos deu veneno para a filha Rayssa dos Santos Duarte beber durante a noite desta segunda-feira (03). Em seguida, a mulher pegou um táxi no Terminal do Ibes e, enquanto passava pela Terceira Ponte, pediu para o taxista parar. Ela desceu do carro e se jogou.
O corpo de Aline foi encontrado na manhã desta terça-feira (04), em uma praia que fica dentro do 38º Batalhão de Infantaria, em Vila Velha. Logo após a retirada do corpo da água, feita com dificuldade pelos bombeiros, a perícia esteve no local. Os corpos de mãe e filha foram encaminhados para o Departamento Médico Legal (DML) em Vitória.

Outro caso recente e parecido :MARIDO MATA ESPOSA A FACADAS EM VILA VELHA E APÓS O CRIME SE JOGA DA TERCEIRA PONTE
Fonte: Folha Vitoria 
Atualizado em 4/3/2014 
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: