NOSSA POLITÍCA

10 de mar de 2015

Capixabas marcam manifestações para este fim de semana em Vitória


Dayana Souza
Protesto  Foto: Dayana Souza
Insatisfeitos e com intuito de cobrar mudanças drásticas na política brasileira, capixabas se mobilizam nas redes sociais para ir às ruas e protestar contra a atual situação política e econômica do país. Estão previstas três manifestações, que devem acontecer nesta sexta-feira (13) e no domingo (15), em frente da Petrobras, da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e na Praça do Papa, em Vitória.
 
Dois dos três grupos decidiram não realizar passeata, pois de acordo com os organizadores, é para manter a segurança e integridade dos participantes do movimento.
 
Na sexta-feira (13), das 15h às 17h, um grupo se concentrará em frente da Petrobras, para pedir o impeachment da presidente Dilma Russeff (PT). “Além do impeachment desta presidente, estaremos protestando contra os corruptos, vamos exigir das autoridades superiores que não permitam que as investigações da Lava-Jato fiquem como as que aconteceram no Mensalão. Basta, estamos indignados com toda essa situação, em que a presidente fica baixando decretos para favorecer os corruptos do partido dela”, contou a historiadora, Crisley do Vale.
 
Crisley disse ainda que a manifestação é familiar e apartidária, mas todos são bem-vindos a participar. “Teremos até representantes da categoria de caminhoneiros que aderiram ao nosso movimento de sexta. Mas essa é uma manifestação totalmente pacífica, por isso, procuramos a Prefeitura, a Polícia Militar e todos os órgãos competentes para manter a segurança de todos”, afirmou.
 
A Central Única dos Trabalhadores do Estado (CUT-ES), os movimentos sindicais e sociais, estudantes e militantes de diversos partidos, se reunirão em frente da Ufes, a partir das 16h, para iniciar a passeata rumo à sede da Estatal petroleira, em Vitória.
 
“Não vamos aceitar ‘golpe’ de nenhuma forma, temos que respeitar a democracia feita nas urnas, a presidente foi escolhida pelo próprio povo brasileiro. Estamos protestando pelos direitos da classe trabalhadora, em defesa da nossa Petrobras, pela não privatização, pela democracia e pela reforma política. Além disso, queremos o não uso de recursos provenientes de iniciativas privadas nas campanhas eleitorais, dessa forma, estaremos cortando a corrupção na raiz. Nossa caminhada será pacífica, pois vamos às ruas defender a democracia”, explicou a presidente da CUT-ES, Noêmia Simolassi.
 
Já no domingo (15), novos protestos acontecem na capital do Estado. A partir das 16h, duas manifestações estão previstas para ocorrer simultaneamente. Novamente, às portas da Petrobras será palco de protestos. A segunda manifestação acontecerá na Praça do Papa. Os dois eventos somam mais de 40 mil pessoas confirmadas a comparecer nos locais acordados.
 
No domingo, a Reta da Penha estará fechada nos sentidos da via, para a realização da manifestação.
 
Um dos organizadores do evento na Praça do Papa, Armando Fontoura, disse que a escolha do local foi feita para promover um espaço com capacidade de atender à todos e promover mais segurança aos manifestantes. “É uma manifestação pacífica e será um espaço democrático para todos. Nossa motivação é que queremos a saída da presidente, estamos protestando contra esse Governo que só dilapidou a Petrobras com a corrupção, contra os aumentos dos impostos, a população sente que é ela que está pagando a conta do corrupção, somo nós que estamos sentindo no bolso”, frisou.
 
Policiais militares e agentes da guarda municipal farão o acompanhamento de todas as manifestações programadas para este fim de semana.

Com Informações: ES hOJE
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: