NOSSA POLITÍCA

26 de set de 2015

Linhares: Água: aulas nas escolas são suspensas, caminhões pipa abastecem hospitais e “boca” na Juparanã é aberta

Conhecida como o "Paraíso das Águas”, Linhares vive uma crise hídrica grave. A Prefeitura de Linhares suspendeu as aulas na rede municipal de ensino nesta sexta-feira (25) nas regiões que tiveram o abastecimento interrompido. Além disso, caminhões pipa, também em caráter emergencial, irão abastecer hospitais, unidades de saúde e outras entidades que necessitam de água de forma prioritária. A falta de água já atinge cerca de 80 mil pessoas na sede do município.

Em caráter emergencial, a Prefeitura de Linhares também iniciou um processo de abertura da boca da Lagoa Juparanã, onde ocorre o encontro com o Rio Pequeno.  A ação, explicou a Prefeitura, é necessária porque o fluxo do Rio Pequeno foi interrompido por causa do baixo nível da Lagoa Juparanã em virtude da seca prolongada.

Peritos ambientais da Polícia Civil de Vitória percorrerão todo o leito do rio na manhã de hoje com equipe do Saae e das Secretarias de Meio Ambiente e de Segurança Pública da  para tentar detectar a procedência da substância que causou a coloração escura na água. Policiais civis, militares e bombeiros militares também estão envolvidos no caso.

Captação Interrompida

Desde a manhã desta quinta-feira (24) a captação de água foi suspensa pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) em decorrência da coloração escura que é predominante em cerca de 2 quilômetros do Rio Pequeno. O abastecimento da cidade é feito por meio de reservatórios e de acordo com o diretor da autarquia, Gelson Suave, não há previsão para que a captação seja retomada.

O diretor do Saae, Gelson Suave, diz que a coloração escura na água ainda é um mistério. 



Seguindo o protocolo de segurança, para evitar que uma possível água contaminada fosse distribuída à população, a captação foi interrompida. Amostras da água foram coletadas e o resultado deverá ficar pronto nesta sexta-feira (25).

A coloração escura que toma conta de 2 quilômetros de extensão do manancial ainda é um mistério para a autarquia. Até o resultado da coleta enviada à Vitória, Suave disse que nenhuma medida paliativa será adotada para tenta amenizar a falta de água na cidade. "Qualquer medida que pudesse ser tomada demandaria muito tempo e não traria solução. Não é tão simples assim”, reforçou Suave.

Gelson Suave citou, dentre as possibilidades, o acúmulo de material orgânico no fundo do rio que veio à superfície ou até mesmo lançamento de esgoto clandestino. "A captação da água só será retomada após termos a certeza que a qualidade da água que será fornecida ao linharense não estará comprometida”, destacou. A orientação do Saae é que a população economize água.

Gelson Suave também não quis afirmar que um possível problema técnico na operação de uma estação fluvial próximo a uma estação de tratamento de esgoto, localizadas no bairro Três Barras, possa ter ocasionado o transtorno. Outro questionamento foi a falta de manutenção na estação de tratamento de esgoto da Vila Capixaba que Suave também descartou. 
 
O Site de Linhares entrou em contato com o Ministério Público Estadual, em Linhares, para saber se a Promotoria de Meio Ambiente está ciente do problema e aguarda posicionamento oficial do órgão.

Com Informações: Site de Linhares
Avalie o Conteúdo:

0 comentários: